Mochilão de primeira viagem – Europa no Inverno

“Nossa, Mari, você por aqui…”

Pois é. Se você já me acompanha, peço desculpas pelo sumiço (mas prometi a mim mesma que desse espaço não largo nem tão cedo). Mas, caso você chegou por ter buscado dicas de mochilão pela Europa, seja muito bem-vindo (a) e parabéns pelo bom gosto por escolher o Velho Continente para passar uns dias e curtir o inverno por lá – isso se você for em breve.

Para começar, vou fazer algumas perguntas. Você quer muito fazer um mochilão, certo? E se é mochilão é porque, além da liberdade, você quer como 90% dos viajantes, dicas boas, bonitas e baratas pra não cair em roubadas?

Então, segue um roteirinho de 15 dias e seis países a serem visitados, com as cidades tanto incríveis quanto democráticas para a sua primeira trip europeia.

Dia 1 – Chegada de Londres: talvez seja a cidade mais organizada para descer do aeroporto e pegar outro voo, chegar à estação de trem e de ônibus para seguir viagem. Não que as capitais dos outros países sejam ruins, mas dessa tenho conhecimento de causa. Fora o jeito inglês de esbanjar gentileza e, se você manjar um pouquinho da língua, melhor ainda. Dica: siga viagem e deixe pra conhecer a Terra da Rainha na volta.

Dia 2 – Paris. Você pode ir de avião, trem e ônibus. Esse último quando chega no Canal da Mancha a gente vai de ferry e depois pega a estrada outra vez. Mas claro, prefira avião ou trem! Chegando mais rápido, dá pra aproveitar bem e já conhecer os destinos principais.

London Eye

Londres é um dos melhores pontos de partida para seu mochilão

Dia 3 – Mais Paris!

Dia 4 – Um pouquinho de Paris, que nunca é demais – só indo pra lá pra saber – e preparando a noite pra pegar o bonde até os Alpes Suiços.

Dia 5 – Visitando os Alpes, a dica é a montanha Jungfrau, à noite é seguir rumo a Viena.

Dia 6 – Viena

Dia 7 – Viena e seguindo à noite para Munique, Alemanha.

Dia 8 – Munique e seguir para Berlim.

Dia 9 – Berlim

Dia 10 – Berlim e seguindo para Amsterdã

Dia 11 – Amsterdã

Vamo ali_ canais de amsterdã

Canais de Amsterdã, destino imperdível para quem faz a primeira trip pelo Velho Continente

Dia 12 – Amsterdã e rumo à Londres.

Dia 13 – Londres

Dia 14 – Londres de novo, claro

Dia 15 – Dia de dar “goodbye”a Londres e voltar para o Brasil.

Agora considerações finais…

Tá com uma graninha a mais e tempo? Estique o roteiro para dois ou três dias e não deixe de conhecer Brugges, na Bélgica, e Salzburgo, na Áustria.

De trem é melhor? Bem melhor! Principalmente se combinar com passes. Mas conto depois o processo.

Média de uma viagem saindo de São Paulo ou Rio até a capital inglesa? Umas 15 horas contando escalas e conexões.

A vantagem de ir e voltar da mesma cidade é que fica mais barato, apesar de você se cansar mais um poquinho. mas fazer o quê? No pain, no gain!

Valores? Bom, não sou profeta do amanhã, porém estou aqui pra ajudar. Quanto às passagens de avião e passes de trem eu não posso estabelecer uma quantia, até porque preço de transporte é algo que oscila bastante. Agora, vai por mim. Média de 1.200 euros para hospedagem – claro que estou falando de hostels – e demais despesas com refeições e passeios.Ah, e nunca nunca esqueça de fazer seguro de saúde na viagem!

Pouco? Talvez, mas entenda que seu objetivo é agregar bons momentos e não acúmulo de coisas e informações. É vida real nas “Zoropa”, nêgo! Esquema mochila, pé-no-chão, sacou?!

Bom, esse é o roteiro seco, afinal de contas é apenas a dica de destino. Elaborar o roteiro minucioso eu vou fazendo isso cidade por cidade.

E aí, vamo ali mochilar?

Anúncios

Bruges e seus bons motivos

Charmosa cidade belga erguida no período medieval, Bruges fica na região Flanders e não economiza beleza, simpatia e romantismo. E nesse último quesito é o tipo de destino que indicaria numa boa para casais em lua de mel pela Europa – o que também desconheço se já é uma escolha comum entre os pombinhos.

Ela me deu poucos ótimos motivos pra conhecê-la – dois, para ser mais exata – e já fiz as malas. Afinal, como não amar a Bélgica? O lugar onde se encontram as melhores cervejas e os melhores chocolates do mundo!

welkombrugges

E o melhor: é compacta, é fofinha, é fácil de andar e faz você se sentir uma cinderela caminhando pelo vilarejo. Fico até me arriscando bancar a spoiler para soltar o quanto de amor cada alameda ou canal onde passa o rio Bruges reserva ao visitante.

canais de bruges

Eu só fico com dó por ter achado que menos de um dia serviria para conhecer a cidade. Um pernoite talvez não valesse a pena para quem está com orçamento enxuto, mas o ideal é um dia inteiro e reservar a tarde apenas para ficar sentado em um barzinho na Grote Markt e saborear uma cerveja belga das boas. Pela proximidade com Bruxelas e Amsterdam, saia cedinho de trem ou ônibus das capitais e só vá embora à noite.

Markt_ Bruges

Como em várias cidades europeias, é comum as intervenções artísticas que unem o clássico e o contemporâneo. Pode ter certeza que encontrará uma delas caminhando pela praça.

arte_na_rua_em_bruges

Eu só quero chocolate

Que a Bélgica é sinônimo dos melhores chocolates do planeta isso já não é novidade. Aproveite para visitar as docerias que, caso não morra pela boca, você come com os olhos com tanta beleza. Tenho pra mim que Deus me escolheu pra ir para aquela cidade depois de um conselho de Willy Wonka falando que eu fui uma menina boazinha e merecia tudo aquilo (momento drama chocólatra).

Ah, e não deixe de visitar a lojinha da Galler pra saboarear os docinhos e presentear os seus.

galler_shop

E se o dinheiro tiver sobrando e a mala com espaço, vale a pena se jogar nas comprinhas de artesanato com acessórios feitos de estampas típicas de lá. Cada bolsa linda!

artesanato_belga

Então, quer mais motivos para conhecer Bruges?

A Fantástica Fábrica da Heineken

Entre flores, Red Lights District e Coffeeshops que diferenciam Amsterdã de qualquer outro lugar do mundo, há uma espécie de “santuário universal”  que faz jovens e adultos de todo planeta se encontrarem nos engradados de uma garrafa verde que contém a “cerveja mais internacional do mundo”. É claro que estamos falando da holandesa Heineken.

entrada heineken experience

Entrada para o paraíso

Há quem ache-a forte demais, amarga demais, mas uma coisa não se pode negar: é a cerveja que mais investe em imagem no mundo. Não por acaso cravou no roteiro de Amsterdã o passeio à sua antiga fábrica, onde hoje abriga a Heineken Experience, um misto de museu, espaço multimídia, visita técnica, loja e parque de diversões para gente grande.

O "Passaporte para o Sucesso" é um odisseia empolgante e inesquecível

O “Passaporte para o Sucesso” é um odisseia empolgante e inesquecível

O tour, de cerca de duas horas, comprova do início ao fim o quanto a marca não busca vender uma cerveja, mas um conceito. Óbvio que não serei estraga-prazeres para falar de todo o passeio, mas já adianto que é um destino imperdível em sua passagem pela capital holandesa. Confesso até que foi um dos meus melhores momentos em viagens, com catarse em cima de catarse, afinal de contas, sou uma admiradora da cerveja e fiquei ainda mais fã após conhecer seu processo de produção na minha HE.

Definitavamente, a visita técnica que desbancou todas do tempo de escola

Definitavamente, a visita técnica que desbancou todas do tempo de escola

Resumindo a ópera, não é só entretenimento, é um mergulho na história de uma empresa, de um produto que faz qualquer viajante se sentir confortável com aquilo que conhece e como tudo aquilo começa.

Serviço

Stadhouderskade 78, Amsterdã

+ 31 (0) 20 523 922

Horário: 11h30 às 19h30 com último tour começando às 17h30

Aberto todos os dias do ano exceto: 01 de janeiro, 30 de abril, 25 e 26 de dezembro.

Entrada: dezoito euros (com direito a dois chopes)

+info: http://www.heineken.com/br/heineken-experience.aspx