Instituto e Oficina dos Brennand – como chegar e não se confundir

– Moço,e as esculturas de Francisco Brennand onde estão?
– As esculturas de cerâmica não ficam aqui no Instituto não, moça. Tem o museu e tem a oficina. Muita gente se confunde porque eles são irmãos ou primos, parece. De carro daqui pra lá leva de 10 a 15 minutos…
– Ah, tá…

E a tarde reservada para um só lugar acabou alterando nossa rota. Estava no Instituto Ricardo Brennand, complexo artístico de Recife, mas queria também conhecer parte da obra do artista plástico e ceramista Francisco Brennand. Só pra confirmar a dúvida do diálogo acima, os dois são primos em primeiro grau e, além dos mesmos sobrenomes,  seus negócios com mesma finalidade podem causar uma confusão tamanho família.

?????????????

A oficina do ceramista Francisco Brennand com suas obras e formas que impressionam

Localizados no bairro da Várzea, no Recife, área correspondente à Cidade Universitária, ou seja, lado praticamente oposto da zona hoteleira da capital pernambucana. Apesar de já fazer parte do roteiro turístico da cidade e o instituto figurar entre os 25 melhores museus do mundo em recente pesquisa, é preciso estar munido de algumas dicas.

A primeira delas é dê preferência ao carro. Sei que é uma triste recomendação para uma das cidades com o pior trânsito do país, mas no quesito mobilidade esses dois lugares deixam a desejar. Se for seguir para o Ricardo Brennand, o ônibus deixa até um certo ponto. Depois só de carro, táxi ou um translado disponibilizado pelo instituto, que no dia que eu visitei não o vi. Por isso, o automóvel vai te facilitar, seja ele próprio, alugado, táxi ou van fretada. Ah, e não esqueça de um GPS ou aplicativo de celular. Não há – pelo menos não vi – sinalização na BR indicando a via de acesso ao instituto.

?????????????

No Instituto Ricardo Brennand podemos encontrar diversas réplicas de obras famosas, como A Dama e O Cavalo, de Botero

O acesso à Oficina Francisco Brennand também possui praticamente como única opção o carro. Após a última parada de ônibus, o visitante tem acesso à entrada do engenho onde fica a oficina. Da entrada até lá são cerca de 3 km de uma linda trilha cercada por mata atlântica que vale até a caminhada, porém não muito segura. Então melhor ir de carro ou combinar a corrida de ida e volta com o taxista, porque – por ser uma área isolada – vai ficar difícil encontrar sinal de internet para solicitar serviço de táxi por aplicativo. Diferente do instituto do primo, há algumas placas indicando a sua localização  nas mediações da avenida Caxangá, principal via de acesso ao celeiro de obras do artista.

Se vale a pena o passeio? Muito! Seja para conhecer a contribuição artística dos dois primos para a cultura pernambucana e brasileira, ou para fugir um pouco do circuito “praia-gastronomia-feirinha de artesanato”dos típicos roteiros das cidades nordestinas. Mesmo de férias ou de folga, o visitante pode ter uma aula de arte em dose dupla e levar muito conhecimento na mala!

Apesar do passeio ter essas complicações sobre como chegar, não deixe de fora do roteiro pelo Recife. Mais para frente faço post falando da minha visita a cada um!

Anúncios

Piranhas/AL – Charme e História às margens do Velho Chico

Coisa boa é quando o destino nos leva àquela cidadezinha charmosa, com seu centro histórico bem conservado e população acolhedora. Ao passar por Piranhas, no sertão alagoano, unimos o primor de um Patrimônio Histórico Nacional – conferido em 2003 – com o panorama de encher os olhos quando nos deparamos com o São Francisco e suas águas. Fica até difícil saber quem é o protagonista, se o rio ou a cidade. Passei uma tarde lá, durante a minha viagem a Xingó, e por isso não tenho dica de hóteis ou opcões para comer, mas me me apaixonei pela “pequena notável” ribeirinha.

 

Piranhas_Alagoas

Arquitetura tombada e Velho Chico ao fundo

 

Mesmo com o macabro episódio da exposição das cabeças de Lampião e seu bando (foi ali próximo, na Gruta do Angico*, onde foram capturados), hoje suas paisagens reservam encantos e tradição. Um artesanato organizado, hotéis e pousadas confortáveis, bons restaurantes, economia da cidade sendo impulsionada pelo turismo e muita, muita vontade de voltar lá.

Torre do Relógio_Piranhas_Alagoas

Torre do Relógio vale a foto e a subida

 

O passeio pela cidade histórica pode ser feito em uma tarde, o que inclui subida aos mirantes Secular e o da Igreja do Bomfim, pausa para uma foto na Maria Fumaça, subida à Torre do Relógio e ida ao Museu do Sertão, o qual achei meio fraquinho. Depois disso, é só saborear um bom prato de peixe ou frutos do mar em algum restaurante da orla piranhense.

Maria_Fumaça_Piranhas_AL

O bom seria se a Maria Fumaça estivesse em atividade

 

Sentimental eu sou

Se para o resto do Brasil o rei da música é Roberto Carlos, Piranhas adotou outra “majestade”para chamar de sua. Com direito a título de cidadão piranhense e tudo, o cantor Altemar Dutra foi um ilustre visitante na cidade – isso bem antes do boom turístico nos últimos anos (ele morreu em 1983).

Estatua_Altemar_Dutra_Piranhas_Alagoas

Antes dos muitos turistas que visitam a cidade, Piranhas já servia de inspiração para Altemar Dutra

E não é que o “cantor das multidões” ganhou até estátua por lá? As paisagens serviram de inspiração para muitas de suas cancões e era lá o seu refúgio. Além do monumento, a pizzaria e restaurante com o mesmo nome do artista faz sucesso entre moradores e visitantes.

Mas tenho que concordar com Altemar, a beleza de Piranhas com a imponência do Velho Chico são impossíveis de não se inspirar. Vale a visita!

 

*Localizada no município sergipano de Poço Redondo

Dicas de Canoa Quebrada – CE

Unir a tranquilidade de uma praia nordestina com vida noturna variada é desejo de boa parte dos desbravadores pela estrada afora. Canoa Quebrada, no Ceará, consegue mais que isso. Símbolo de resistência de pescadores, cenário para documentário de Orson Welles, referência cinematográfica da Nouvelle Vague e refúgio de hippies nos anos 70, ela  surpreeende qualquer um que tem a chance de caminhar por suas dunas e ruas estreitas. Falar de “Canoa” não é só definir um point do turismo nacional, é comprovar a beleza e acolhimento de um local já firmado no mapa para viajantes de várias tribos.

Localizada no municipio de Aracati,  a 160 km de Fortaleza, Canoa Quebrada foi minha opção para passar o feriadão da Semana Santa. E posso dizer que não me arrependo das 12 horas de estrada que tive que enfrentar até chegar nesta maravilha de praia. Apesar do atraso, o post pode servir principalmente para quem está no Ceará durante a Copa do Mundo.

De dia

Mesmo possuindo um centro de compras bem honesto, não tem outra. Bom mesmo é desbravar as paisagens que este pedaço do céu oferece aos olhos. As opções são muitas: passeio de bugue pelas falésias nas praias de Majorlândia e Ponta Grossa (eles alugam o carro inteiro pelo valor de 250 a 300 reais), passeio nas dunas e se aventurando na tirolesa.

No quesito esportes radicais, a praia não deixa a desejar. Fazer um belo Kite Surf mar adentro e se jogar em uma voozinho no parapente (nem me falem. quando resolvi ir faltou vento e os voos foram cancelados. Ódio!). Inclusive a região é bem conhecida pela prática.

Um voo de parapente com duração de meia hora tem seu preço variado entre 70 e 80 reais, dependendo da quantidade de pessoas no grupo

 

De noite

A famosa rua Broadway é literalmente um espetáculo de boas opções e cruzamento de todo o público que Canoa Quebrada atraiu ao longo dos anos: jovens, famílias, casais em lua de mel, galera LGBT, caretas, malucos e por aí vai.

Na rua, lojinhas de artesanatos com seus souvenirs amontoados também têm como vizinhos opções de bares, restaurantes e casas de shows pra fazer o visitante chegar cedinho e varar a madrugada. Indicação de comida? Juro que ainda volto pra comer um filé de dourado com queijo e banana no restaurante Scorpions que tava dos deuses (R$41 prato para duas pessoas)!!

E para a galera que curte um reggae na beira da praia, nos fins de semana você pode curtir um som sob a luz da lua nas festas promovidas por alguns barzinhos da beira-mar.

 

Hospedagem

Eu fiquei na pousada Lua Morena, bem na encosta da falésia. Visual incrível de se ver, excelente localização, com acesso direto à Broadway e aos pontos de voo de parapente. As instalações são chalezinhos super charmosos com ar, TV, frigobar, wifi e armários. É um estabelecimento antigo, daí há muitas coisas rústicas demais, como um banheiro sem box na parte de tomar banho….mas atendimento excelente, café da manhã bem honesto e variado. O resto vocês conferem no site da pousada.

Pousada Lua Morena

Vista da pousada e da área de lazer. Foto: Maxbel Oliveira

 

Pegou bem

  • No trajeto quando chegamos na divisa RN e CE até  Aracati, a estrada é boa e  bem sinalizada;
  • incentivo à contratação de mão de obra local;
  • boa variedade hoteleira;
  • passagem barata saindo de Fortaleza (em torno de R$13)

Pegou mal

  • Posto de saúde fechado (algumas meninas da minha turma passaram mal e tivemos de ir ao hospital no centro de Aracati)
  • Pousada faltou energia no primeiro dia (mas a administração tratou de resolver rapidinho);
  • Poucos policiais pela praia (isso é bom ou ruim?)
  • Caso não abasteça no posto da saída de Canoa voltando para Maceió, uma péssima notícia. Só vai ter posto cerca de 35km depois. Inclusive nesse trajeto dois postos estavam desativados.

E aí, vamos mesmo para Canoa “das Quebrada”?

Como ir: Excursão do Alan (contato: +55 82 8824-1723)